Saiba como gerenciar o transporte de carga pesada e evitar prejuízos - XMultas Blog

Circular pelas rodovias brasileiras demanda muitos cuidados e para o transporte de carga pesada a atenção precisa ser redobrada. Isso porque os fretes que envolvem mais peso tendem a ser naturalmente mais caros e complexos no trabalho da empresa.

Tudo isso costuma também render o dobro de planejamento na logística que envolve o ciclo responsável por fazer a mercadoria sair da embarcadora e chegar até o destino. Ou seja, você precisa encontrar soluções inteligentes para lidar com esses produtos que costumam ser significativos no retorno de lucros. 

Quer saber mais? Vamos mostrar dicas essenciais para gerenciar o transporte de carga pesada e reduzir a complexidade. Acompanhe: 

Domine a legislação da carga pesada

O ponto de partida para evitar prejuízos é compreender a legislação. A Lei nº11.442, publicada em 2007, é a responsável por guiar o transporte de cargas em via rodoviária. É a partir dessas resoluções que são determinadas as regras e os direitos em relação aos transportadores e os embarcadores. 

Para tratar especificamente de carga pesada existe o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). A resolução número 1, de 2016, menciona dimensões e pesos que entram na categoria. Já o Conselho Nacional de Trânsito oferece também normas especiais para veículos longos que trafegam com esse tipo de carga. 

Diante de tantas informações, o papel da empresa embarcadora é atender cada exigência dos órgãos regulatórios para evitar multas em seu CNPJ, especialmente, no caso das fiscalizações de balança que avaliam o peso e a dimensão das cargas. 

Entenda quais cargas são classificadas como pesadas

Dentro da legislação, estão detalhes sobre o que é considerado uma carga pesada. Não se trata apenas do peso em si. Na verdade, segundo o DNIT, uma carga pesada é aquela que tem dimensões além do que já está regulamentado. Ou seja, se a regulamentação para uma carga é de até 30 toneladas, a de 31 toneladas se encaixa nessa definição. 

Além disso, esse tipo de carga é indivisível, normalmente, com uma peça única. Confira alguns exemplos:

  • guindastes;

  • transformadores;

  • silos;

  • estruturas metálicas de grande porte;

  • vagões;

  • pás eólicas.

Itens que tenham ligações com peças de uso industrial ou da construção civil também entram na lista. Por conta do tamanho, essas mercadorias demandam adaptação especial para que o transporte aconteça em segurança. No Brasil, produtos com peso líquido acima de 30 toneladas, por exemplo, exigem esforços minuciosos, como a manutenção de cavalos mecânicos reforçados. 

Vale dizer que as cargas pesadas e divisíveis também merecem a mesma atenção. O que vai diferenciá-las é o fato de não serem consideradas “cargas especiais”. A principal justificativa para essa situação é a Lei da Balança que não se aplica aos indivisíveis. 

Tenha atenção com as medidas de segurança

Quando se fala em segurança de cargas pesadas, não se trata apenas de garantir que a mercadoria chegue em perfeitas condições ao destino. Na verdade, você precisa considerar também a integridade do responsável pelo transporte em si. 

Nessa conta entra tanto a necessidade de utilizar embalagens adequadas quanto manter mão de obra especializada. Na prática, isso significa que não basta ter um bom gestor, motorista e carregador. É recomendado a presença de engenheiros que possam compreender a logística de transporte e determinar o melhor tipo de veículo. Esse trabalho inclui ainda:

  •  planejamento detalhado de trajeto e embalamento;

  • cálculos sobre a melhor forma de transportar sem sobrecarregar a estrutura do veículo;

  • antecipação sobre perdas ao longo do caminho;

  • controle estratégico para evitar multas por excesso de peso. 

Avalie e otimize os gastos

Por ter uma natureza especial, cargas pesadas demandam veículos igualmente especiais. Ao colocar na ponta do lápis, isso significa que o custo para o orçamento será grande. Principalmente porque o envio desse tipo de mercadoria envolve um bom time de colaboradores e estrutura de qualidade.

Dependendo da complexidade do item, pode ser necessário adotar condições específicas inclusive para o trajeto. Assim, antecipar problemas é a forma mais eficiente de otimizar o orçamento e evitar gastos desnecessários.

 E isso inclui conhecer quais multas podem acontecer pelo caminho. Isso porque determinadas mercadorias — principalmente indivisíveis — podem precisar de horários, velocidade, sinalização especial e até mesmo a presença de batedores. 

Saiba quais são as tolerâncias por excesso de peso 

Embora seja obrigação da transportadora manter uma balança bem calibrada, a verdade é que os números podem oscilar. É por isso que o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) prevê uma porcentagem de tolerância para cargas pesadas. 

Nesse caso, se torna essencial compreender que a pesagem dos itens divisíveis é feita conforme os eixos. Na prática, não se trata do peso bruto total, mas sim da proporção em que essa carga é conduzida. 

A tolerância aplicada pelo Contran indica que se o caminhão estiver até 5% mais pesado do que o indicado pelo fabricante ou os eixos até 10% mais pesados do que o limite, não será multado. Caso o valor esteja acima, o excesso precisa ser retirado ou transferido para outro veículo de acordo e a multa será aplicada. 

Conheça os critérios para multa de balança

Lembra da lei da balança mencionada no começo do texto? Se trata de uma das mais importantes e mais debatidas por embarcadores. O que acontece é que por falta de conhecimento, ou má-fé da transportadora em alguns casos, a carga indivisível é embarcada de forma inadequada por sobrecarregar um eixo ou mais. Além disso, é possível que certos critérios fiquem em segundo plano.

Para entender melhor, considere que há diferença entre apenas ser multado e ser multado e precisar de transbordo. Se o excesso estiver até 12,5% acima do limite bruto, não há necessidade de transferir para outro veículo ao ficar apenas com a multa. 

Contudo, se a pesagem estiver acima, será preciso dividir para outro caminhão.Vale dizer que a primeira pesagem é sempre a que é levada em consideração. Portanto, mesmo que a carga seja readequada dentro dos eixos para passar pela balança, a multa continua valendo.

Pronto! Agora você já sabe como transportar carga pesada e os motivos que fazem a multa de balança ser uma das mais temidas por embarcadoras. O melhor caminho, aqui, é contar com a ajuda de um módulo especializado para identificar as infrações registradas no CNPJ de sua empresa e resolver uma série de burocracias relacionadas. 

Compreendeu a importância de evitar multas de balança? Então entre em contato com o XMultas e conheça uma série de soluções personalizadas para evitar prejuízos desnecessários em seu negócio.

tags: carga pesada


Comentários: