Educação no trânsito: uma obrigação para as frotas comerciais - XMultas Blog

Educação no trânsito é uma obrigação de todos os motoristas. No entanto, quando se trata de uma frota comercial a questão precisa ser avaliada de forma ainda mais cuidadosa. Como o serviço coloca nas vias diariamente dezenas de veículos, qualquer descuido pode causar prejuízos incalculáveis.

Os números são alarmantes! Em um período de cinco anos, o Brasil registrou 210 mil mortes ao volante. O levantamento feito pelo Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV) indica que acidentes acontecem a cada 12 minutos nas estradas. Diante desse cenário, a melhor solução é incentivar boas práticas de direção em seu negócio.  

Quer saber mais? Vamos mostrar como a educação no trânsito melhora a performance dos condutores e a qualidade do trabalho. Acompanhe:

Respeite a preferência do pedestre 

Não dar preferência ao pedestre pode ser interpretado como infração gravíssima, dependendo do caso. O descuido do motorista costuma ser flagrado por aparelhos eletrônicos de monitoramento e causa uma série de prejuízos à sua empresa. Por isso, fique atento na hora de orientar os colaboradores em relação às obrigações com os pedestres e os outros veículos.

Para manter as boas práticas de trânsito, reforce a importância de olhar para todos os lados ao se aproximar das faixas sem semáforos. Avalie também as condições de segurança pelos retrovisores antes de conceder a preferência. Caso outro automóvel não perceba o pedido do pedestre, o ideal é acenar e alertá-lo em tempo de interromper a travessia.

Talvez você já tenha presenciado nas ruas algum momento em que um motorista de veículo comercial cede passagem a pedestres. Se isso causou uma boa impressão sobre a imagem da empresa, pense que a sua marca também pode se beneficiar dessa postura.

Não jogue lixo pela janela 

Jogar lixo pela janela do carro é uma situação que evidencia a falta de educação no trânsito. Porém, quando se trata de uma frota comercial, a prática se torna ainda mais constrangedora, já que os funcionários representam os valores e a conduta da empresa durante o trabalho.

Além disso, sujar as vias se enquadra como infração grave com pagamento de multa no valor de R$ 85,13. A boa notícia é que investir em programas preventivos dentro do seu negócio costuma apresentar excelentes resultados em pouco tempo.

Alerte seus colaboradores sobre os perigos que a ação pode causar tanto aos pedestres quantos aos outros veículos. Os sacos plásticos, por exemplo, grudam nos vidros e atrapalham a visão do condutor — imagine o susto de ter um objeto inesperado no para-brisa. Sem dúvidas, isso aumenta as chances de perder o controle do veículo e causar acidentes.

Evite olhar o celular enquanto dirige 

Checar o celular enquanto dirige representa um descuido gravíssimo na rotina de um motorista profissional. Esse simples gesto, que parece inofensivo em um primeiro momento, é praticamente a mesma coisa que entregar as chaves do carro a uma pessoa com os dois olhos vendados. Os poucos segundos que levam para destravar o bloqueio do aparelho já representam um risco que pode ser fatal.

O grande segredo está em usar as facilidades tecnológicas a favor do seu negócio. Procure por dispositivos que possam ser conectados ao carro para que o colaborador atenda as ligações e comande o smartphone apenas pelo sistema de viva-voz. Com isso, todas as informações do trabalho podem ser transmitidas durante o trajeto sem prejudicar o desempenho da equipe.

Sinalize sempre a intenção

Deixar de usar seta causa diversas confusões no trânsito. Imagine só como seriam as vias se ninguém comunicasse suas intenções ao dirigir? Um verdadeiro caos, não é mesmo? Em função disso, o papel do gestor da empresa envolve mostrar a importância de manter a educação ao volante e sinalizar sempre a intenção. Veja os principais momentos em que a seta deve ser ativada:

  • ultrapassagens; 
  • retornos;
  • conversões;
  • mudança de faixas;
  • paradas;
  • oferecer passagem aos outros veículos. 

A comunicação essencial para ser um bom condutor também é composta pelos sinais de braço. Ao esticá-lo, por exemplo, o outro motorista vai entender imediatamente que a intenção é entrar no acesso à esquerda.

Ultrapasse com segurança 

Calcular errado as possibilidades de ultrapassagem pode acabar em acidente. Muitos motoristas acabam excedendo os limites de velocidade — seja por pressa ou pela oportunidade de se posicionar melhor na via — ao praticar a manobra.

A melhor maneira de evitar problemas é preparar um treinamento de boas-vindas aos funcionários para informar a conduta esperada no trânsito. Converse sobre a necessidade de realizar a manobra de forma rápida sem deixar a segurança de lado. Conheça outros cuidados essenciais durante a ultrapassagem:

  • localizar o veículo ultrapassado pelo retrovisor antes de retornar à via; 
  • ultrapassar sempre pela esquerda;
  • utilizar apenas trechos em que a manobra é permitida;
  • avaliar o espaço necessário para realizar a ultrapassagem;
  • redobrar a atenção ao tentar uma ultrapassagem com chuva; 
  • nunca tentar ultrapassagem por acostamentos ou contra-mão, viadutos ou pontes.

​Mantenha a distância segura

Ignorar as indicações de segurança ao parar em um semáforo prejudica o desempenho dos seus colaboradores. A falta de atenção com a distância em relação ao veículo da frente resulta em colisões que se transformam em verdadeiras bolas de neve no trânsito.

A situação, além de ser desagradável, ainda traz uma série de pendências jurídicas. O melhor a fazer é orientar os membros da equipe a deixar sempre espaço para manobras em casos de emergência.

O Código de Trânsito Brasileiro não indica uma regra sobre essa questão. Entretanto, se um fiscal julgar a distância entre dois automóveis como uma atitude arriscada, ele possui autonomia para aplicar uma multa, conforme sua interpretação.

Buzine apenas quando necessário 

Você sabia que exagerar na buzina pode render multa ao motorista? Nem todo mundo conhece essa regra da legislação de trânsito, mas buzinar como se fosse solução para fazer os carros desaparecerem gera uma infração leve com custo de R$ 88,38.

O acessório deve ser usado com a função de alertar os outros motoristas em situações de risco. A sugestão é pressionar suavemente quando for necessário advertir um condutor que deseja ultrapassá-lo.

Fique de olho também nos trechos em que a buzina for disparada. Existem alguns locais em que o barulho é proibido com sinalização, como porta de hospitais entre 22h e 06h. Veja algumas situações em que é indicado o uso do acessório:

  • para dar a vez a outro motorista em um cruzamento; 
  • avisar um pedestre que esteja distraído;
  • alertar um condutor sobre a abertura do semáforo. 

Agora você já conhece as principais práticas de educação no trânsito que devem ser seguidas por uma frota comercial. O primeiro passo é criar métodos eficientes de conscientização para que todos fiquem em dia com suas responsabilidades ao volante. Logo, a imagem da empresa se destaca no mercado e os gastos com imprudência podem ser reduzidos em longo prazo.

Gostou das informações deste artigo? Então leia também sobre como aumentar a segurança no trânsito de sua frota!

tags: Educação no trânsito


Comentários: