Gestão jurídica: 4 dicas para otimizar o processo em sua empresa - XMultas Blog

Já passou o tempo em se acreditava que a gestão jurídica era uma área que gerava gastos e dores de cabeça. Hoje, ela é vista como uma das mais estratégicas na realização do trabalho e serve para amparar as ações da empresa, oferecer segurança e até mesmo proporcionar uma redução de custos sustentável.

Por isso, o setor precisa ser mais próximo da operação e demais áreas com foco em estabelecer rotinas simples. O grande segredo, no entanto, está em compreender que sua função vai muito além de garantir assinaturas de contratos e resolver conflitos legais. Só assim será possível ganhar credibilidade no mercado para se destacar. 

Quer saber mais? Vamos mostrar 4 dicas de como otimizar o processo jurídico em sua empresa. Acompanhe:

1. Aproxime o jurídico dos demais departamentos

Para reduzir o número de processos e recursos perdidos, o ideal é evitar que essas ações aconteçam, reduzindo ao máximo as ocorrências que a empresa recebe. Sendo assim, cabe ao jurídico orientar áreas como vendas, logística, produção e atendimento de modo a alinhar o discurso perante fornecedores e clientes.

Quanto a ocorrência de processos trabalhistas ou autuações recebidas por má conduta de funcionários e terceirizados, o jurídico fica responsável por prestar suporte ao departamento pessoal e líderes de área acerca de boas práticas de comunicação, contratação de colaboradores, controle de horas extras, conscientização sobre infrações logísticas etc.

2. Meça os resultados da sua gestão jurídica

Os indicadores de desempenho são uma maneira comprovada de medir a eficiência de uma mudança na gestão ou avaliar o progresso contínuo da área. Eles são muito utilizados na produção, financeiro ou marketing e podem ser aplicados em diversos segmentos com sucesso, inclusive, no jurídico. Para o setor, em específico, podem ser avaliados aspectos como:

  • total gasto com processos perdidos;
  • total economizado com processos ganhos;
  • percentual de processos recebidos por período;
  • custos com o departamento;
  • produtividade da equipe jurídica;
  • gastos por processo.

3. Opte por acordos e negociações

Processos longos ampliam também os custos do setor, além de apontarem para a possibilidade de perda da causa. Por isso, oriente sua gestão jurídica na hora de buscar acordos e conciliações sempre que parecer vantajoso. Para fazer essa análise, é importante que a empresa tenha um sistema de dados que permita avaliar o histórico de outras ações e pautar a tomada de decisão.

4. Foque em tecnologia

Além de ter um sistema jurídico, opte por softwares que possibilitam integração com outras áreas e ajudem na gestão de contratos eficientes. É interessante também ficar atento às novidades do mercado em ferramentas de análise e controle que possam evitar a incidência de novas autuações e processos recebidos. 

Uma forma de colaborar com esse resultado é contar com um módulo de monitoramento dos órgãos fiscalizadores da logística que representam uma série de pendências regulatórias. Na multa de balança, por exemplo, em algumas situações, o pagamento precisa ser realizado pela empresa embarcadora que pode não ser notificada do débito.

Ou seja, esse tipo de desinformação interfere diretamente na participação de licitações ou outros processos que exigem a Certidão Negativa de Débitos (CND) e faz com que os valores se tornem uma bola de neve.

Pronto! Agora você já sabe como uma boa gestão jurídica agrega produtividade e favorece o crescimento do negócio. Ao alinhar todos os processos conforme as necessidades internas, o retorno será uma redução de gastos significativa quanto ao transporte de bens e mercadorias.

Compreendeu a importância da gestão jurídica ao evitar pendências com órgãos fiscalizadores? Então entre em contato com o XMultas e conheça uma série de soluções personalizadas focadas em reduzir custos com multas e outras burocracias.

tags: Gestão jurídica


Comentários: