Afinal, o que é junta homocinética e como conservar a peça por mais tempo? - XMultas Blog

Cuidar da manutenção e bom funcionamento do carro é fundamental para dirigir com conforto, segurança e evitar acidentes graves. A junta homocinética tem um papel fundamental nesse caso e seu perfeito funcionamento está ligado a robustez e tração adequada do veículo.

O nome pode parecer um pouco complicado, mas trata-se de um conjunto simples e de fácil preservação. Conhecer a sua função também é pertinente para identificar possíveis desgastes e cuidados preventivos para prolongar a vida útil das peças.

Que tal entender mais sobre o assunto para não ter de confiar cegamente no mecânico, na próxima visita? Continue conosco e boa leitura!

Entenda o que é junta homocinética e a sua função

A homocinética é formada por um conjunto de peças — junta, coifa e abraçadeiras — responsáveis por transmitir a força do motor para as rodas. A tração é transmitida para a parte dianteira do carro, que passa a funcionar no ângulo ideal em relação ao eixo, independentemente dos buracos ou oscilações da pista.

Em outras palavras, é a junta homocinética que permite que o veículo ande com maior ou menor força, dependendo da marcha engatada. Se esse componente estiver danificado, as rodas podem travar de uma hora para outra e, de acordo com a velocidade, você pode até capotar.

Conheça o tempo de vida útil da peça

Isso varia muito conforme a qualidade do item, as condições da estrada e forma de dirigir do motorista. De maneira geral, uma junta homocinética pode rodar até 50.000 quilômetros antes de apresentar sinais de danos.

Além dos buracos, outros fatores externos podem prejudicar a durabilidade da junta. A falta de alinhamento e balanceamento dos pneus e customizações radicais, como o excesso de rebaixamento e a troca das rodas — por tamanhos diferentes da recomendação do fabricante — são as causas de desgaste antecipado mais comuns.

Saiba como identificar uma junta homocinética com problemas

Para identificar o momento certo de realizar a troca da peça é preciso fazer um trabalho de observação. No dia a dia, você vai começar a perceber alguns ruídos ao entrar em uma curva fechada ou manobrar o carro. É comum ouvir alguns estalos ou o som de atrito entre duas peças de ferro.

Porém, antes mesmo desses sinais, dê uma examinada visual, prestando atenção se existem pontos de corrosão ou ressecamento, bem como a presença de pingos de graxa na coifa, o que indica problemas de lubrificação e a possível entrada de sujeira nas esferas e núcleo da junta.

Veja quais são os melhores cuidados para sua conservação

Quando a junta apresentar os primeiros danos, a melhor solução é trocar todo o conjunto. Evite as peças remanufaturadas que, apesar de terem um custo menor, podem quebrar mais rapidamente.

Para não chegar a esse ponto, alguns cuidados podem fazer a homocinética durar mais tempo ou até mesmo evitar reparos antes de você trocar de carro. Dentre eles, procure preservar a geometria original da suspensão. O rebaixamento prejudica a função do semieixo e deixa o carro mais sensível aos impactos.

Procure também manter a conservação dos coxins e aplicar o torque correto na hora de apertar as porcas de fixação. No mais, realize as cambagens com bons profissionais — que deixem a angulação correta nas rodas — e jamais reutilize a graxa ou outras peças usadas, capazes de diminuir o tempo útil da nova junta homocinética.

Percebeu como a junta homocinética é importante e deve ser tratada com todo cuidado? Por isso, dirija de maneira cuidadosa, evitando fortes impactos nos eixos, adquira — sempre que possível — peças originais e de boa procedência e mantenha o hábito de examinar e realizar revisões periódicas no seu carro.

Quer virar um expert em todos os assuntos relacionados ao carro e dar uma aula de mecânica para os amigos? Então siga as nossas páginas no Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn!

tags: Junta homocinética


Comentários: