Multa na Ponte das Bandeiras SP: entenda como ela ocorre e evite surpresas da próxima vez! - XMultas Blog

A multa na Ponte das Bandeiras se tornou uma grande dor de cabeça entre os motoristas. De fato, a má sinalização do trecho, combinada com as mudanças de regras no acesso, causam uma série de confusões que prejudicam tanto seu bolso quanto as boas práticas ao volante.

Mas não se preocupe! Se você pega esse caminho todos os dias ou simplesmente não conhece as condições do fluxo, o primeiro passo é se informar sobre a definição de conversão errada. Afinal de contas, esse tipo de infração apresenta um alto índice de registro na Ponte das Bandeiras e costuma pegar a todos de surpresa por puro desconhecimento.

Ficou interessado? Vamos tirar as suas dúvidas sobre o assunto para evitar problemas na via. Acompanhe:

Como funciona a multa por conversão errada?

Antes de falarmos sobre a multa na Ponte das Bandeiras, você precisa ficar por dentro de como acontece a conversão errada. Apesar de pouco conhecida entre os motoristas, esse tipo de infração costuma ser bastante perigosa e exige atenção redobrada.

Na prática, a violação é autuada quando o condutor executa o movimento de conversão em ângulo à direita ou à esquerda ao sair de uma via e entrar em outra. Para que seja considerada uma manobra proibida, no entanto, torna-se necessário que exista sinalização de placa com a indicação vertical de regulamentação do órgão de trânsito ou de outras instituições habilitadas.

Vale lembrar que o sinal horizontal que proíbe a conversão apresenta algumas exceções e permite o movimento quando é necessário acessar a entrada de imóveis particulares nas vias urbanas ou rurais.

Qual a diferença da conversão errada para o retorno?

Por se tratar de uma questão parecida, alguns motoristas acabam confundindo a conversão errada com o retorno. No entanto, saiba que o retorno acontece quando o carro segue em linha reta na via e, de maneira inesperada, faz uma manobra pela mesma via para voltar no sentido inverso.

Ou seja, diferentemente da conversão errada, não se usa uma via transversal para realizar a manobra. Além disso, existem alguns locais em que o retorno é apropriado desde que sinalizado com setas e o condutor fique atento aos retrovisores.

Já no caso da conversão, quando você não identificar nenhuma placa com sinal de proibição, o mais indicado é verificar os dois lados do trânsito e se manter no acostamento até surgir uma oportunidade de seguir para a outra pista com segurança.

Quais as consequências ao Motorista?

Quando a conversão errada é autuada pelos órgãos de trânsito, o motorista soma 5 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) por se tratar de uma infração considerada grave. Além disso, ainda existe uma taxa no valor de R$ 195,23.

O grande problema na visão dos órgãos de trânsito está na falta de educação dos motoristas que apesar de enxergarem a sinalização na maioria dos casosinsistem em cortar caminho em momentos completamente inoportunos.

Por isso, o trabalho de fiscalização costuma ser rígido com esse tipo de violação já que as chances de causar um acidente por descuido são grandes. Sem contar que a punição financeira serve também como forma de conscientizar o condutor a priorizar sua segurança e ter boas práticas ao volante.

O que diz o artigo 207 do CTB?

Agora, vamos explicar como o Código de Trânsito Brasileiro define a multa por conversão errada. O artigo 207 é o único que trata desse tipo de infração, porém, cita apenas que quando existem placas se torna proibido fazer a conversão tanto à esquerda quanto à direita — ou seja, ele não se aprofunda muito no assunto.

Dessa maneira, a imprudência do condutor precisa ser registrada por um fiscal de trânsito ou por radares eletrônicos para ser validada. No caso dos aparelhos de fiscalização, a imagem da placa que constata a proibição do trecho deve aparecer em pelo menos uma imagem junto do veículo.  

Como acontece a multa na Ponte das Bandeiras?

Se você passa com frequência nesse trecho da cidade de São Paulo, certamente, já deve ter notado que o acesso é bastante complicado. Isso porque muitos motoristas consideram as placas mal sinalizadas, o que pode induzir ao erro.

Logo na entrada da via, existe uma árvore grande que dificulta a visualização da placa que informa sobre a proibição da conversão no local. Além disso, existe também a quebra no fluxo de veículos, pois a maioria não consegue entrar pela esquerda por conta do excesso de carros e acaba recorrendo à manobra na pista da direita.

Entretanto, a conversão à direita é proibida na via pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) que define esse pedaço como prioridade do transporte público.

Mudanças nos horários de proibição

Desde junho de 2018, a CET alterou os horários de proibição de acesso a Ponte das Bandeiras pela Marginal Tietê. Na regra anterior, a circulação era proibida entre 6h e 12h entre segunda e sexta-feira.

Já na medida vigente, a proibição é válida das 6h às 10h de segunda a sexta-feira. Como o trecho permanece livre para ônibus e táxis durante esses horários, muitos motoristas que ainda não estão atualizados sobre as regras acabam sendo multados diante da falta de sinalização adequada.

Por este motivo, tenha atenção redobrada quando pegar o trecho. Afinal de contas, além do prejuízo para o bolso, a via também costuma ser muito movimentada com veículos de todos os tamanhos e os riscos de acidentes são significativos.

Qual a melhor forma de recorrer?

Saiba que as multas por conversão errada na Ponte das Bandeiras acontecem frequentemente e complicam a vida de muitos motoristas pelo acúmulo de pontos na CNH.

Em função disso, o melhor caminho para recorrer da infração junto aos órgãos de trânsito é procurar ajuda de uma plataforma especializada em multas e documentos, como o XMultas. Assim, você consegue criar uma defesa personalizada em 3 etapas que levam apenas 5 minutos. Isso mesmo! Todo o processo é prático, rápido e extremamente seguro. Veja a seguir o passo a passo:

  1. clique em fazer recurso e escolha as razões de defesa;
  2. preencha seus dados com atenção;
  3. realize o pagamento, imprima e envie em seguida ao órgão de trânsito responsável pela notificação.

Por fim, cabe ressaltarmos que locais mal sinalizados são uma constante na rotina do motorista paulistano. Uma boa dica para evitar surpresas é monitorar sua Carteira Nacional de Habilitação por meio de um aplicativo de controle de multas. Só assim será possível mensurar as despesas com a documentação do veículo e as autuações nos órgãos de trânsito.

​Pronto! Agora você já sabe como ocorre a multa na Ponte das Bandeiras e quais são os horários permitidos para circulação de veículos de passeio. Lembre-se de ficar sempre atento à sinalização e utilizar a tecnologia como aliada para acompanhar a situação do seu carro e CNH!

Compreendeu a importância de monitorar as multas de trânsito? Então baixe agora mesmo o aplicativo do XMultas na App Store ou no Google Play.

Attribution: Photograph by Mike Peel

tags: Multa na Ponte das Bandeiras SP


Comentários: