Sono ao volante: suas consequências e riscos para a frota - XMultas Blog

O excesso de sono ao volante é uma preocupação constante do gestor de frotas. Afinal, noites mal dormidas diminuem o reflexo do motorista e interferem diretamente no controle do próprio corpo. Sem contar que, com a falta de atenção no percurso, as chances de causar um acidente fatal praticamente dobram.

Por isso, para evitar situações de risco em sua empresa, você deve ficar de olho no comportamento dos funcionários. Monitorar de perto os indicadores de desempenho se mostra fundamental na hora de garantir a segurança e melhorar a eficiência do serviço oferecido no mercado.

Quer saber mais? Vamos tirar suas dúvidas sobre o assunto e explicar os malefícios da falta de descanso ao organismo. Acompanhe:

Como identificar o sono ao volante?

Pouca gente sabe, mas os efeitos de dirigir com sono podem ser ainda mais perigosos do que o álcool. Segundo dados divulgados pela Associação Brasileira de Sono (ABS), noites mal dormidas são responsáveis por 30% das mortes e 20% dos acidentes de trânsito no território nacional.

Por isso, uma das principais funções do gestor envolve cuidar do descanso adequado de seus colaboradores. Claro que é bastante complicado avaliar apenas no olhar as condições de cada um na hora de se apresentar ao serviço.

Entretanto, faça o monitoramento de acordo com o desempenho da equipe. Entenda os números da produtividade e mantenha as portas abertas para conversas diante de qualquer tipo de mudança no comportamento.

Qual a melhor forma de evitar acidentes?

Uma pessoa cansada, certamente, consegue realizar seu trabalho durante alguns dias. Porém, quando a estafa do sono bate, ela costuma cobrar a conta de uma só vez. Dessa maneira, a preocupação com a rotina de um motorista da frota precisa ser ainda mais criteriosa, já que segundos de cochilo ao volante podem comprometer a imagem da empresa no mercado.

Nesse caso, a melhor forma de aumentar a segurança é conscientizar os colaboradores sobre as consequências de combinar sono com direção. Ao deixar claro que a falta de descanso representa inúmeros perigos, inclusive ao bem-estar do próprio funcionário, fica muito simples conseguir uma equipe consciente e que comunica à gestão quando não está apta a exercer a função.

Quando é preciso investir na saúde dos motoristas?

A disposição dos funcionários é um fator determinante na eficiência operacional da empresa. Por este motivo, criar um sistema que incentive o cuidado com a saúde de todos faz muita diferença na entrega dos melhores resultados.

O dia a dia no trânsito é, especialmente, cansativo e o acúmulo de prazos tende a deixar a situação ainda mais estressante. A partir disso, se torna muito difícil um motorista fugir da rotina para fazer uma bateria de exames, por exemplo.

Em uma situação como essa, você deve ficar de olho em tudo que possa ajudar sua equipe a se cuidar em diferentes áreas. O resultado, em pouco tempo, será a redução do excesso de cansaço e uma prevenção maior contra possíveis indenizações por doenças ocupacionais.

Como o excesso de sono gera multas de trânsito?

Ao lidar com um motorista sonolento, o número de multas na frota tende a aumentar consideravelmente. O motivo é que não dormir bem afeta o reflexo e o raciocínio lógico — que se mostra indispensável na condução do veículo. Com isso, seus colaboradores ficam propensos a exceder os limites de velocidade para evitar dormir ao volante ou até mesmo ultrapassar pela contramão em linha dupla.

Outro detalhe importante é que o Artigo 166 do Código de Trânsito Brasileiro considera infração gravíssima quem entrega o carro a um condutor incapacitado por seu estado físico ou psicológico. Ou seja, a responsabilidade pelos riscos que alguém sem dormir pode causar também se estende à administração da frota.

Agora você já conhece as principais consequências do excesso de sono ao volante. Lembre-se que o mais importante é orientar seus colaboradores. Ou seja, mostre a eles que existem outras questões que podem causar sonolência além de uma noite mal dormida. Assim, eles precisam informar sobre a ingestão de qualquer tipo de medicamento ou a frequência de tratamentos que afetam a coordenação motora.

Gostou das informações deste artigo? Então assine nossa Newsletter e receba uma série de conteúdos exclusivos.

tags: Sono ao volante


Comentários: