Transporte de carga viva: entenda as regras para reduzir riscos - XMultas Blog

O transporte de carga viva exige uma série de cuidados. De fato, para quem realiza o serviço, ética e responsabilidade são palavras-chave na hora de cumprir todas as exigências feitas pelos órgãos de fiscalização. 

Saiba que diferentemente das mercadorias que circulam no dia a dia, esse tipo de frete exige o desenvolvimento de soluções específicas tanto da empresa embarcadora quanto da transportadora contratada. Assim, se torna mais simples evitar o sofrimento dos animais, prejuízos por perdas e riscos de acidentes. 

Quer saber mais? Vamos mostrar regras detalhadas para fazer o transporte de carga viva com eficiência. Acompanhe:

Respeite as particularidades da carga

Para que a carga viva chegue ao seu destino intacta é preciso tomar alguns cuidados a partir do embarque. Os animais sempre devem ser deslocados em um veículo exclusivo. Isso significa que não dá para colocar bois e vacas, por exemplo, em um caminhão que transporta paralelamente outro material.

Além disso, é preciso garantir que os animais sejam levados em pé, em sua posição natural. Essa exigência demanda que o transporte tenha tamanho adequado e uma estrutura robusta. Outra questão importante envolve a necessidade de preparo do caminhão ou do contêiner para as particularidades da carga.

Na prática, o chão deve ser planejado de forma a garantir que os animais não derrapem pelo caminho. Além disso, as preocupações se estendem à qualidade da serragem ou outro material colocado no piso, já que não pode ser fino a ponto de lesionar a sua visão. 

Siga as leis ambientais e de transporte de carga viva

A partir de 2017, houve uma publicação importante em relação às regras de transporte de carga viva. O Contran estabeleceu a resolução nº 675 que regulamenta preocupações essenciais na hora de deslocar animais. O objetivo é, principalmente, evitar ferimentos e sofrimentos desnecessários. Sem contar que a redução do estresse se torna indispensável tanto para a segurança quanto para reduzir prejuízos.

Convém mencionar também a lei 9605 que regulamenta os crimes ambientais. O Brasil é signatário da OIE (Organização Mundial de Saúde Animal) e segue procedimentos do Ministério da Agricultura para garantir a seguridade do processo de transporte de carga viva. 

Existe, inclusive, a indicação da necessidade de técnicos especializados dentro da embarcação que ainda não foi oficialmente adotada. Porém, qualquer animal encontrado em “decorrência de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente” é apreendido, as empresas responsáveis são autuadas e arcam com a possibilidade de condenação criminal.

Acompanhe todo o processo de transporte 

Embora ainda não seja obrigatório contar com um profissional acompanhando o transporte, todo o processo precisa ser feito cuidadosamente. Até porque multas podem ser evitadas apenas por meio de uma supervisão adequada. 

Lembre-se de que todo o preparo das cargas antes do embarque deve ser pensado de maneira estratégica para ser feito o mais rápido possível. Também é válido observar se as transportadoras contratadas oferecem a estrutura necessária para o seu envio, já que o tamanho do caminhão e de suas portas podem representar redução na capacidade. 

Para que o transporte de carga viva seja eficiente e sem risco é importante seguir regras de manuseio, embarque e deslocamento. Afinal, multas relacionadas ao CNPJ da empresa embarcadora demoram a chegar e causam prejuízos inesperados. Por isso, é indispensável contar com a ajuda de um módulo especializado que monitora as pendências junto aos órgãos fiscalizadores ao mesmo tempo em que facilita os procedimentos. 

Se você está em busca de um aliado para controlar as multas que podem prejudicar o caixa, entre em contato com o XMultas. Temos soluções personalizadas para atender às necessidades de sua empresa.

tags: Transporte de carga viva


Comentários: